terça-feira, 17 de setembro de 2013

Intercessão o que é

 Funções da Intercessão

INTERCEDER É SERVIR


É fazer-se disponível (Mc. 10, 44-45)
A palavra grega para servo, em Marcos 10, 45 é Doulos, que significa “Em servidão por escolha”.
INTERCEDER É LUTAR ENGAJAR-SE EM BATALHA
É entrar em combate pelas pessoas. Desviando os ataques de satanás.
Devemos ter uma lista de pessoas por quem oramos. E muitas vezes, o Espírito Santo nos lembra nomes. Pode passar-se muito tempo, até que, de novo, nos aparecerá estar ouvindo, em nosso espírito, que chegou o tempo de parar nossa intercessão por eles, e quem devemos riscar seus nomes da lista. E que nossas ORAÇÕES DE SUSTENTAÇÃO dessas pessoas já fizeram a grande diferença em suas vidas, que era o objetivo do Senhor ao inspirar-nos a orar por elas.
INTERCEDER É IDENTIFICAR-SE COM.
É tornar-se cada vez mais sensível as necessidades dos outros.
INTERCEDER É COMPARTILHAR.
É tornar disponível o que se possui. (Mt. 10,8)
INTERCEDER É GOVERNAR.
É ordenar autoridade.
Ex: Jeremias (Intercessor profético) – (Jr. 1, 10)
COMBATE ESPIRITUAL
A oração é um campo de batalha.
Uma vez definido o assunto pelo qual vamos interceder. É preciso ter presente que estamos ENTRANDO EM UMA LUTA. E o combate espiritual para que a vida do Reino se manifeste agora.
1 – A REALIDADE DO CONFLITO ESPIRITUAL:
Cada pessoa está envolvida num conflito espiritual, quer queira, quer não. Não é uma escolha. A Escritura nos previne (Ver Ef. 6, 12).
2 – A REALIDADE DA VITÓRIA EM CRISTO:
Daí, como um guerreiro de oração, só paramos de combater DIANTE DA VITÓRIA.
2.1 – Jesus despojou as postestades de sua autoridade (Cl. 2, 15).
2.2 – Somos conduzidos em TRIUNFO (2 Cor. 2, 14).
3 – A REALIDADE DA PROTEÇÃO DIVINA CONTRA OS ATAQUES DE SATANÁS:
3.1 – A Armadura de Efésios (6, 10-18) é destinada ao guerreiro de oração, serve de proteção contra os ataques inimigos.
4 – A REALIDADE DAS ARMAS ESPIRITUAIS:
4.1 – A Palavra de Deus é a ESPADA DO ESPÍRITO.
4.2 – O NOME DE DEUS transforma a mais alta autoridade no mundo do Espírito (Fl. 2, 9-10).
E Ele nos deu SUA AUTORIDADE E O DIREITO DE USAR SEU NOME (Luc. 10, 19).
O PODER QUE ESTA POR TRÁS DO NOME DE JESUS É O PODER DO ALTÍSSIMO. Somos exortados a crer no nome de Jesus (I Jo. 3, 22-33).
O TEMPO DE INTERCEDER
Jesus, na parábola da viúva persistente nos dá uma certeza (Ver Luc. 18, 7). Se for necessário, é preciso ficar anos diante do Senhor sem desanimar e SEMPRE CRENDO.
E agindo assim que veremos a Igreja Renovada, Vidas Transformadas, Mundo Salvo.
TEMOS QUE CRER QUE A ORAÇÃO POSSUI O PODER DE MUDAR TUDO. INCLUSIVE O CURSO DA PRÓPRIA HISTÓRIA.
O Tempo é curto e por isso o Senhor arrebanha no ministério da Intercessão pessoas que com Ele intercedam pela “Conversão para remissão dos pecados de todas as nações”. (Lucas 24, 47).
O QUE ACONTECE AO INTERCESSOR
O Senhor separa os que vão entrar em combate na batalha por Ele, pelos seus interesses.
Essa separação consiste, em morrer para si mesmo, pelo Senhor, numa PROGRESSIVA CONSAGRAÇÃO, até chegar a totalidade da entrega do ser. Não é lugar cômodo, atraente, mas lugar escondido, submerso como foi o dos sacerdotes dando passagem à arca da aliança (Js. 4).
É vitória do reino no coração e na vida de quem leva o NOME DE JESUS aos outros: “Ide e Anunciai” (Mt. 28, 19-20).
É a concretização da resposta ao Chamado:
“Anunciarei a vosso Nome a meus irmãos” (Sl. 21, 23); “Darei testemunho de Vós entre os povos, Senhor” (Sl. 56, 10).
O INTERCESSOR É TRANSFORMADO PELO ESPÍRITO SANTO.
Não devemos ficar parados e nem criticar ou desanimar, conhecendo o AMOR DE DEUS, devemos prosseguir naquilo que nos é confiado.
A GRANDE BÊNÇÃO AO INTERCESSOR
A Intercessão é o ministério mais unido a Cristo Jesus, porque significa combater com Ele o bom combate (I Tm. 1, 18-19). É permanecer na vitória com intrepidez da fé (1 Tm. 3, 13), fazendo o inimigo recuar do terreno já conquistado definitivamente por Jesus, na cruz.
Quando intercedemos nos tornamos um canal aberto à ação de Deus. A GRAÇA DE DEUS passa obrigatoriamente pelo intercessor antes de ser derramada na pessoa daquele por quem Ele intercede. Ora, se a graça de Deus flui pelo nosso Ser Espiritual e carnal, essa mesma graça pode agir em nós. Portanto mesmo sem o pedirmos, SOMOS AGRACIADOS POR DEUS.
É assim que somos curados, perdoados, consolados, renovados muitas e muitas vezes sem o sabermos, sem percebermos ! Somente passado algum tempo é que TOMAMOS CONSCIÊNCIA DO FATO sem entendermos a CAUSA DAQUELA BÊNÇÃO, DAQUELA GRAÇA.
Estudos da Comunidade Anuncia-Me
ESTUDO E QUESTIONAMENTO1 – Como entendo e assumo que: interceder é lutar e engajar-se em batalha?
2 – Quando travo o Combate Espiritual, e entro no Campo de Batalha o que percebo com mais freqüência: a realidade da vitória em Cristo, da Perseverança, da constância na oração ou a realidade do desânimo, fracasso, sentimento de derrota e qual a minha atitude diante das duas realidades?
3 – Lendo e meditando Lucas 11, 1-2 – Lucas 15, 1-7 – Lucas 18, 1-8 – Lucas 22, 39-46.
O que posso aplicar de cada citação, no meu ministério de Intercessão?
4 – Vejo e entendo que a vida da Intercessor não é só de sacrifícios, mortificações, sofrimentos, mas aceito e percebo que o intercessor é canal de bênçãos 


O que faz o Evangelísta

Explicando a função do dom de Evangelista.

     Dons espirituais - 17.
     Podemos compreender a principal função de um evangelista, entendendo o significado dessa palavra. Evangelista quer dizer aquele que anuncia o evangelho, ou as “boas novas” ou ainda as “boas notícias”. As boas novas que o evangelista proclama dizem respeito ao evangelho do reino de Deus. O apóstolo Paulo nos apresenta a essência do evangelho em 1 Coríntios 15.1-4, a qual é constituída de três pontos principais. Segundo as Escrituras, 1) Cristo morreu pelos nossos pecados; 2) foi sepultado; e, 3) ressuscitou ao terceiro dia. 
     Embora a incumbência essencial de um evangelista seja anunciar o evangelho, ele ainda tem outro dever a cumprir. Geralmente a pregação do evangelho está relacionada aos incrédulos. Entretanto Paulo, ao falar sobre os dons espirituais em Efésios 4.12, afirmou que é responsabilidade dos evangelistas o aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para edificação do corpo de Cristo. Uma das maneiras mais eficientes de alguém fazer isso é através do próprio exemplo. A Bíblia nos fala de muitas pessoas que eram bons exemplos. 
     Conseguiremos entender melhor a função de um evangelista estudando a vida e o ministério de um cristão neotestamentário que recebeu esse dom. Esse alguém foi Filipe. Vamos dar uma olhada cuidadosa em alguns feitos que ele realizou. 
       1. Foi a Samaria pregar sobre Cristo (Atos 8.5). 
       2. Pregou o evangelho às pessoas e operou milagres (Atos 8.6). 
       3. Trouxe alegria para a cidade (Atos 8.8). 
       4. Batizou aqueles que se converteram a Jesus (Atos 8.12). 
       5. Foi obediente ao Senhor com respeito ao lugar em que deveria ministrar (Atos 8.26,27). 
       6. Recebeu instruções específicas do Espírito Santo (Atos 8.29). 
       7. Estava disposto a pregar o evangelho a apenas uma pessoa (Atos 8.30-35). 
       8. Levou o evangelho a muitas cidades (Atos 8.40). 
       9. evangelizou sua família (Atos 21.9). 
     Também aprendemos sobre o evangelista e o seu ministério examinando a vida e o ministério de Estevão. A Bíblia não se refere a ele como um evangelista, mas vejamos algumas realizações daquele servo de Deus. 
       1. Operou sinais e milagres entre o povo (Atos 6.8). 
       2. Agiu com grande sabedoria e no poder no Espírito Santo (Atos    6.10). 
       3. Procedeu bem ao ser perseguido (Atos 6.15). 
       4. Pregou a Palavra de Deus com sabedoria e poder (Atos 7.2-53). 
       5. Falou a verdade com intrepidez, embora isso tenha lhe custado a vida (Atos 7.51-53). 
       6. Perdoou aqueles que vieram matá-lo (Atos 7.60). 
       7. Tornou-se o primeiro mártir da igreja. 
     Nem todos os evangelistas precisam experimentar o mesmo que Filipe e Estêvão experimentaram. Entretanto podemos aprender muito com eles sobre a função básica desse dom. 
     Outra referência bíblica que devemos estudar é 2 Timóteo 4.5: “… faze o trabalho de um evangelista …” Esse trecho indica que o dom de evangelismo pode estar, às vezes, associado a outro. Timóteo, que recebeu a ordem acima, era pastor. Um pastor também pode ser um evangelista. Esses dois ministérios têm muito em comum. 
     Geralmente a pregação do evangelho é dirigida aos não crentes. 
     Viva Jesus! 
     Deus lhe abençoe!

Qual é a função de um diácono

Qual é a função de um Diácono?

Você sente o chamado de Deus para o diaconato, gostaria de saber mais sobre esse “importante negócio” (Ver At6:2,3 edição Revista e corrigida), então esse post é pra você. A seguir um breve estudo sobre o diaconato.
Introdução
Se estudarmos profundamente os atos dos apóstolos constataremos que a diaconia não é outra coisa senão a prestação de um serviço incondicional e amoroso a Deus e à igreja a qual pertence. O diácono que não vive para servir a igreja do Senhor, não serve para viver como ministro de Cristo. Sem o serviço prestado a diaconia é impossível, incompleta e carnal.
Definição
A palavra diácono é originária do vocábulo Grego diákonos e significa, etimologicamente, ajudante, servidor. Já que o diácono é um servidor, pode ele também ser visto como um ministro; a essência do ministério cristão, é justamente o serviço.
A instituição do diaconatoO diaconato é o único ministério cristão que originou-se de um fato social: o socorro as viúvas helenistas (ver At 6:1-7), após a leitura percebemos que o crescimento da igreja, o descontentamento social, o comprometimento do ministério apostólico e a organização da igreja, foram algumas das razões que levaram os apóstolos a instituírem o diaconato.
Natureza do diaconatoO que é o diaconato? Um ofício? Ou um ministério? tendo em vista a análise das leituras propostas, podemos observar que o diaconato é tanto um ofício quanto um ministério. Um ofício porque sua função é claramente limitada: suprir as necessidades do santos; daí podemos afirmar que o ofício básico do diácono é a assistência social. Um ministério pois é uma função eclesiástica exercida por aqueles biblicamente ordenados. “E os apresentaram perante os apóstolos e estes orando, lhes impuseram as mãos” At 6:6.
As qualificações do diácono
As qualificações diaconais são os requisitos imprescindíveis que tornam o obreiro cristão apto a exercer esse ministério. Tais qualificações acham-se compreendidas em Atos 6:3 e na primeira epístola de Paulo a Timóteo 3:8-13 e são: Boa Reputação, Plenitude do Espírito Santo, sabedoria espiritual, honestidade, não de língua dobre, abstinência às bebidas alcoólicas, incorrupção e integridade, pura consciência na observância do ministério da fé, fidelidade conjugal, educação e governo dos filhos, e, por fim, o governo eficiente de sua casa.
Os deveres eclesiásticos do diáconosO diácono é o auxiliar mais direto que dispõe o pastor, ou, pelo menos, deveria sê-lo. Diante disso deve o diácono estar sempre atento as necessidades de seu pastor. Jamais se permitirá que este venha a negligenciar o espiritual a fim de envolver-se com o material, isto porque, o material cabe ao diácono e, pelo lado espiritual consumir-se-á o pastor. Um problema muito grave recorrente nas igrejas, vem sendo observado com relação aos deveres diaconais, alguns diáconos tão absorvidos em pregar, acham-se tão entretidos em disputar os primeiros lugares, que acabam por se esquecer de seu pastor. Isso não quer dizer que o diácono deva privar-se do púlpito, se houver oportunidade aproveite-a, porém jamais se esquecendo todas as suas responsabilidades.
Cabe também ao diácono a perfeita identificação, a defesa dos pontos de vista, o conhecimento da história e cultura de sua igreja, o conhecimento da profissão de fé, bem como o conhecimento de sua doutrina.
Outras responsabilidades diaconaisCabe também ao diácono, preparar e servir a santa ceia do Senhor, de acordo com os costumes praticados por sua igreja; praticar a filantropia: campanha de alimentos, agasalho, material escolher, campanhas de ajuda aos missionários, promoção de empregos, entre outras atividades correlatas; recolher as ofertas; trabalhar na portaria da igreja; evangelizar; entre outras tarefas que possam ser determinadas por seu pastor.
Ética diaconalAlém das qualificações que cada diácono deve observar em seu mister, todos precisam observar a ética diaconal.
A ética diaconal é a norma de conduta que o diácono deve observar no desempenho de seu ministério.
A ética diaconal procede principalmente da Bíblia (palavra do Senhor), dos regulamentos da igreja a qual exerce o diaconato e a consciência do próprio diácono.
Para que o diácono exerça seu ministério dentro da ética diaconal, este deve observar os seguintes pontos:
- O conhecimento pleno de seu ofício;
- A lealdade para com seu pastor e líder;
- Extremo cuidado quanto as críticas (de preferência não a faça), troque as críticas por orações ao anjo da igreja;
- Seja prudente quanto a visita ao lar, principalmente a pessoas do sexo oposto, quando ambos estiverem desacompanhados. Fuga da aparência do mal;
- Quanto ao dinheiro, se alguém quiser lhe entregar ofertas ou dízimo, peça gentilmente que o faça no gazofilácio ou na tesouraria da igreja;
- Seja Discreto, saiba controlar a lingua, caso presencie casos extremamente graves procure seu pastor;
- Exerce seu ministério no poder do Espírito Santo, você não precisa lembrar a ninguém que é diácono cuidado com as arbitrariedades e ameaças, as pessoas devem vê-lo como homem de Deus;
- Seja pontual, chegue antes de o culto começar e não se apresse em sair, seu pastor estará sempre a necessitar de sua ajuda;
- Seja obediente às ordens de seus líderes, não murmure nem resmungue, e lembre-se, obedecer é melhor do que sacrificar;
- Nunca se esqueça de exercer seu ministério com amor, pois assim você estará cumprindo a Lei, os profetas e todo o Novo Testamento. E será, em todas as coisas, bíblica e eticamente correto. Portanto não se esqueça da palavra de Deus.
Conclusão
Você pode exercer um diaconato irrepreensível, aja de acordo com a palavra de Deus, observe as normas de sua igreja, prime pela ética. Não deixe que nada macule seu ministério, não basta ser eficiente, é preciso que façamos tudo de acordo com a palavra de Deus.
Espero que o estudo seja proveito para ti meu irmão, minha irmã e que Deus te abençoe, em nome de Jesus amém

DISCIPULADO

DISCIPULADO "Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passaram" (Mateus 24:35) Os dias que virão serão melh...